CÓLICA MENSTRUAL

Saiba mais sobre a cólica menstrual e veja dicas para enfrentar esse incômodo!

Todos os meses as mulheres apresentam um fenômeno conhecido como menstruação. Ela pode acontecer sem causar dor ou incômodo, entretanto, um número considerável de mulheres sente a chamada cólica menstrual.

A cólica menstrual, também chamada de dismenorreia, é um desconforto que as mulheres sentem antes ou então no momento da menstruação. Normalmente essa dor é observada na região baixa da barriga e é ocasionada pela contração do útero, que é um órgão musculoso.

A cólica menstrual, em grande parte dos casos, dura em torno de 48 horas, ou seja, dois dias, e pode ocorrer associada à náusea, dores de cabeça, vômito, dores nas costas, diarreia, desmaios, dor nos seios e indisposição. Normalmente o mal-estar é tão grande que impede a mulher de ir ao trabalho ou até a escola, por exemplo.

Leia também: como parar a Cólica menstrual

As cólicas menstruais tendem a desaparecer com a idade ou após a gravidez e geralmente não estão associadas a nenhum tipo de doença. Porém, em certos casos, a cólica menstrual não é um evento normal e pode estar relacionada com doenças como endometriose e mioma. Sendo assim, é fundamental procurar um médico ao sentir cólicas muito fortes e persistentes.

Para o tratamento de cólicas, o médico pode indicar medicamentos como anticoncepcionais orais, anti-inflamatórios e antiespasmódicos. O remédio a ser recomendado dependerá do quadro da paciente, por isso, antes de receitar medicamentos, o médico deve realizar uma série de exames.

Veja a seguir algumas dicas que podem auxiliar na redução de cólicas menstruais:

– Usar uma compressa de água quente na região baixa da barriga;

– Manter repouso;

– Não comer alimentos gordurosos e ricos em açúcar;

– Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com cafeína;

– Consumir bebidas quentes, como chás de camomila;

– Tomar um banho morno.

Para evitar as cólicas menstruais, é importante que a mulher apresente também hábitos de vida saudáveis diariamente. Uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos podem ajudar a diminuir esse incômodo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *